terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Seguir ...






mesmo na ponta dos pés...

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Hoje

Destino
Acaso
Certeiro

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

sou
um
anjo
sem
asas

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Vamos guardar as coisas boas...

ainda bem que tudo passa né amor?

não há nada como um dia após o outro...

bom ter você...

Verdade




Para onde nos atrai o azul?
Guimarães Rosa

sábado, 13 de dezembro de 2008

3ª decepção:

Tratado não é caro?



Esqueceu do combinado?

Vazio de vontade

Descuido



Ontem



Não bastou

Fazer o café

E encher o filtro

Você queria mais.

Não bastou o bolo de cenoura

A gelatinha colorida

A torta de frango

O suco, o refrigerante diet.

O almoço que virou jantar(o bife a roulet com cenourinha).

Tudo em vão?

-Não!

Mas não tem perdão!

Hoje é outro dia.

Doeu

Mas ás vezes doí mesmo

Só não pode acostumar.



Coisas que...

As vezes não tem razão.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

DECLARAÇÃO DE AMOR


Não sei se você realmente sabe o quanto minha vida mudou depois que você apareceu.


Você acende o Sol todos os dias em mim...

Acho que não faz idéia do quanto participa das minhas decisões e do quanto minha vontade quer andar junto com a sua.
Eu as vezes tenho um pouco de medo de estar sendo eu, por ser muito, como já te disse, acho que não precisamos de desculpas para nossas ações, só da vontade e da força e do esclarecimento, as vezes o "eu" que eu sou confunde um pouco as pessoas, sou toda isso que você está conhecendo, um pouco de tudo, um pouco de nada, uma mistura, um desabafo, um carinho, uma vontade, um agrado, um filho, uma dor, uma flor, azedo, doce, sal, sol, chuva, vontade de dar certo, de ter você por perto, de ter um filho, de ouvir esse filho te chamar de papai, de sonhar seus sonhos e de mostrar os meus...
Temo realmente um pouco por nós, no meio de tantas coisas ruins que possam aparecer (e aparecem).
Tem muitas outras coisas.
Mas não cabem aqui.
Mas com você todo dia é Sol.
E eu gosto disso.

O mais importante e o que eu quero que você saiba é que :

- COM VOCÊ eu ACREDITO NO AMOR!
EU CONFIO E QUERO VIVER E MORRER COM VOCÊ AO MEU LADO.

Até quando seremos irracionais?

Estão sempre tentando me falar...
Existem possibilidades mil, têndencias, gostos, tipos, jeitos...
Eu, cada dia mais descrente de toda essa convenção humana, porém, sempre sendo apresentada a ela de diversos ângulos tentadores.

Não quero:
Manipular sentimentos
Aguçar a vaidade
Dispertar o orgulho
Desenvolver o ciúme
Sorrir com a desconfiança
nem ao menos, omitir , coisa alguma para você, para mim ...
Existem promessas jogadas ao vento e outras nem levantadas.
Hoje eu sou um ponto de interrogação .
(sempre sou?)
Milhares de vozes me tentam, mas eu tento resistir.
Não existe (que coisa! como a palavra existir apareceu com frequencia por aqui, mera coincidência?) expeculações?
O moço de ontem já não é mais.
Ele se transformou em alguém que não é ele.
Estão sempre tentando me falar, mas eu, não quero acreditar nessa coisa estranha que muda as pessoas.
Um tipo de força que nunca seca?
Estava aqui com meus botões, tentando entender a atração por essa força.
Respostas que não me satisfazem.
Tentação maior ser DEUS na vida do outro?
PODER, para ditar os sentimentos?
Aguçar os sentidos?
Despertar as vontades?
Estar a frente de uma situação, ondese expõe a humilhação.
Rever a história, ignorando.
Fazer de novo?
de novo
de novo
O que já está
Machuca "r"
Ter poder de mudar
Poder de ter alguém completamente.
Alguém que não mede esforços.
Louco e são ao mesmo tempo
(triste fim da raça humana, mania essa de ser DEUS)
Reinventar um jeito de humilhação
Não basta ouvir... -Perdão!
Precisa de mais,

Precisa de dor.









Precisam sentir o cheiro de DEUS
NÃO QUERIA DEIXAR QUE O TEMPO RESOLVESSE MEUS PROBLEMAS.

QUERO EU MESMA ESCOLHER O FINAL.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

"Só podia encontrar a felicidade se conseguisse subverter o mundo para o fazer entrar no verdadeiro, no puro, no imutável."

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

LLLLLLLLLLLOOOOOOOOOOOOOVVVVVVVVVVVVVVEEEEEEEEEEEEEEE
Acende o sol!!!

Foguete

Tantas vezes eu soltei foguete
Imaginando que você já vinha
Ficava cá no meu canto calada
Ouvindo a barulheira
Que a saudade tinha
É como diz João Cabral de Mello Neto
Um galo sozinho não tece uma manhã
Senti na pele a mão do teu afeto
Quando escutei o canto de acauã
A brisa veio feito cana mole
Doce, me roubou um beijo
Flor de querer bem
Tanta lembrança este carinho trouxe
Um beijo vale pelo que contei
Tantas vezes eu soltei foguete
Imaginando que você já vinha
Ficava cá no meu canto calada
Ouvindo a barulheira
Que a saudade tinha
Tirei a renda da nafitalina
Forrei cama, cobri mesa
E fiz uma cortina
Varri a casa com vassoura fina
Armei a rede na varanda
Enfeitada com bonina
Você chegou no amiudar do dia
Eu nunca mais senti tanta alegria
Se eu soubesse soltava foguete
Acendia uma fogueira
E enchia o céu de balão
Nosso amor é tão bonito, tão sincero
Feito festa de São João

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Dormir com seu cheiro é bom

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Meu filho,

perdoe-me
dói em mim
também
quando
alguma coisa
te falta
silênciosódói

Insônia

Dormi as 2










Acordei as 5

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Chega de tentar
Dissimular
E disfarçar
E esconder
O que não dá mais pra ocultar
E eu não quero mais calar
Já que o brilho desse olhar
Foi traidor e entregou
O que você tentou conter
O que você não quis desabafar
Chega de temer
Chorar
Sofrer
Sorrir
Se dar
E se perder
E se achar
E tudo aquilo que é viver
Eu quero mais é me abrir
E que essa vida entre
Assim como se fosse o sol
Desvirginando a madrugada
Quero sentir a dor dessa manhã
Nascendo
Rompendo
Tomando
Rasgando meu corpo
E então
Eu
Chorando, gostando
Sofrendo
Adorando
Gritando
Feito louca alucinada e criança
Eu quero meu amor se derramando
Não dá mais pra segurar
Explode coração.
não julgue
não faça
não se aborreça
não chore


2ª dificuldade:o outro não é você

chore
chore
chore

tradução

a
vida

se

para
quem
se
deu



a
vida

se

para
quem
se
deu


Pimenta pura



                                       Um beijo eterno na sua boca

Primeiro dia do último mês

E agora?
Fazer o quê
Se tudo
Já está feito?

Esqueça
Siga
Somente

Ande na direção
Que quando
Puro seu coração
Falar

Pare de hora e outra
Para pedir um beliscão

Corra
Prá outro lado
Se não tiver
Emoção

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Mudar

Mudei
Mudo
Mudarão?
Sei não...

Seguir mesmo quando tá frio?



Pés gelados

Hoje

Mero mortal

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Amo seu silêncio
Seu brilho nos olhos
Sua serenidade madura
Sua cor, seu cheiro, seu calor

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Artur hj

Preparo o café pra ele...

Pergunta se o ovo tá pronto

Digo, mais 30 seguntos

Replica

São Jesus!!! (adorei)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Depois de uma conversa...

Acabei de falar com minha Bel por telefone.
Eles chegaram de Campinas ontem, ás 00:00.
Ela me disse coisas sobre a chuva.... as árvores caídas nas ruas, a falta de luz, a falta de gente...o terror e o medo de pensar em um triz, que tudo acabou, mais ou menos como relata Marcelo Rubens Paiva em, Blackout...



Choveu, fez frio, tempo feio, isso também me entristece...
Por isso desculpo seu mal humor e sigo sem pensar nisso e pensando em tudo isso.

When you cut your hair

Sensação misturada
sentimento confuso
vontade aparada (como seu cabelo)
medo reestabelecido
desejo latente
doí
muitas palavras
poucas palavras
me vira do avesso
vai do fim
pro começo
de não sei onde
para onde não sei
queria dormir 20 horas
é, 20 acho que ta bom
só pra ver no que vai dar
tanta coisa
coisa tanta
chaves
chuvas
corpo molhado
cansado
resfriado
me deixou triste
turbilhão de pensamentos
que me rodam.


Seu gosto anda na minha boca...

So will hurt

Quando nossa casa pegou fogo, eu era muito pequena, mas acho que eu chorei.
Deve ter sido um choro triste e misturado com choro de medo, mas sem saber do porque.
Como choro agora.
Seu cheiro ainda está aqui, entre meus dedos, fica mais forte quando inspiro com a mão perto da boca, logo o sinto, forte.
E choro esse choro sem saber.
Um pouco de sensação misturada com um sentimento confuso.
Lembrança agora,
do gozo
da barriga
da pele
seus cabelos
seus olhos me olhando
seu silêncio respirando.
Eu te olhando e tentando...
Tentando...
Primeira dificuldade:
"Tentar sem saber o quê, como e se vai conseguir"
Tento.
Sei eu se vai dar certo, não sei o que é certo, certo é fazer o que der vontade(?).
Você, ainda preocupado com o mundo,
com a janela que te olha (mas não te vê)
Eu, preocupada com você
Seus furos
Sua dores
Seus pés descalços
Suas vontades
Sua alegria
Seu tudo
Seu nada
Você.
Seu cheiro insiste em pairar no ar
Lavo as mãos, mais esse cheiro não some, tá em mim.
O jeito é dormir
Pelo menos tentar
Quem sabe amanhã eu não tento nada, mas mesmo assim da certo?
Só Jáh!!!
(Obrigada, senhor! Obrigada, obrigada, obrigada...)


2 VÍCIOS

um bom?
outro
ruim?
você o bom?
café o ruim?
café o bom?
você o ruim?
ainda não sei,
prefiro continuar

com os dois

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

"as vezes cheiro fundo minha mão e sinto o cheiro da sua"
Como sempre
tudo e nada
ao mesmo tempo

Perfume da noite de ontem



Vou dormir

Seu cheirinho

Ainda em mim.


Lembrança


Leve

Suave

Delicada

Silenciosa

e Madura.


Extamente

Como penso

Que você é.


Assim

Como tem

Que ser.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Nostalgia











De repente, deu uma saudade...
Hoje eu estou feliz!
Bem, saudável e com uma vontade enorme (e alegre) de poder fazer tudo por você!
Tudo posso...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Surpresa



Um amontoado de coisas

domingo, 16 de novembro de 2008

Talvez haja apenas um pecado capital: a impaciência. Devido à impaciência, fomos expulsos do Paraíso; devido à impaciência, não podemos voltar.

Ontem

Apesar da mamãe cismar em me vigiar ...

D
O
R
M
I

F
E
L
I
Z
!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

qualquer coisa

HOJE CHOVEU TANTO, TANTO QUE EU NEM CHOREI!!!!

O por quê?

Desejo.
Perigo.
Fogo.

Me quemei,
Agora dói,

Deixou cicatriz.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Para CRIS GUERRA

Eu sou o brilho dos teus olhos ao me olhar

Sou o teu sorriso ao ganhar um beijo meu

Eu sou teu corpo inteiro a se arrepiar

Quando em meus braços você se acolheu

Eu sou o teu segredo mais oculto

Teu desejo mais profundo, o teu querer

Tua fome de prazer sem disfarçar

Sou a fonte de alegria, sou o teu sonhar

Eu sou a tua sombra, eu sou teu guia

Sou o teu luar em plena luz do dia

Sou tua pele, proteção, sou o teu calor

Eu sou teu cheiro a perfumar o nosso amor

Eu sou tua saudade reprimida

Sou o teu sangrar ao ver minha partida

Sou o teu peito a apelar, gritar de dor

Ao se ver ainda mais distante do meu amor

Sou teu ego, tua alma

Sou teu céu, o teu inferno a tua calma

Eu sou teu tudo, sou teu nada

Minha pequena, és minha amada

Eu sou o teu mundo, sou teu poder

Sou tua vida, sou meu eu em você
(Meu Eu em Você - Composição: Victor Chaves)

A primeira vez que eu ouvi essa música, tava no carro do meu pai, ao lado dessa agradável companhia que ele se tornou, descendo a Avenida Amazonas.

Como boa filha que também me tornei, hoje, já não brigo mais por causa do gosto musical dele, uma vez que, buscando minha evolução espiritual, me vejo diante de tais acontecimentos e aproveito (pelo menos tento) para exercer minha paciência e tolerância (engraçado falar assim, uma coisa tão boba e tão grande ao mesmo tempo, a questão do gosto).

Bem, alguns dias depois, por intermédio da Paty Caetano (blog da Cupcake), achei o blog da Cris ( o PARA FRANCISCO), e acho que como todo mundo que se delicia e se encanta por suas palavras, lí tudo numa sentada só. Me encantei, chorei por causa nobre, me emocionei, me identifiquei e fiquei amiga dela só por ser ela, "guerreira de nascença e de atitude" .

Falei do seu blog pra todos que eu conheço.

Queria mostrar pro mundo sua beleza Cris!
Sua docilidade, sua delicadeza sutil, sua clareza, sua coragem e alegria presente e gratuita de hoje, apesar da perda tão prematura...
Queria que todos pudessem de alguma forma conhecer a sua história e vissem como você consegue até hoje viver uma dia de cada vez, com a ternura e a suavidade que lhe foi concebida pelos anjos alados (os mesmos anjos que levaram pelas maõs seu Gui, esses anjos que carregam seu Cisco toda noite pro jardim dos sonhos e te fazem sonhar acordada, pensando num jeito melhor de passar as próximas 24 horas mesmo sem ele, mas sendo tão bom e tão boa como se ele estivesse junto).

De algúm jeito, sua história ficou um pouco em mim!
(e eu ouvi essa música como uma canção de amor feita para sua história linda. Por um momento gostei de sertanejo... Rss)

Cris, queria te coroar de flores, pequenas e azuis, daquelas que vimos pelos campos quando viajamos, de alguma maneira te confortar...

Pudera eu Cris, plantar uma sementinha desse " amor de vocês" em cada um, a cada dia, tudo assim, ficaria mais leve...

Um beijo enorme de anjo ( aqueles silêncios nostálgicos, sabe?)

Um cheirinho no Cisco

E um supro ao vento pro Gui que está em você, que sem saber, fez tudo isso ser tão vivo, latente e importante hoje.

Até dia 18, com pelo menos uma flor azul para você minha linda!
. . .
Daniela

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

lindinho

http://www.youtube.com/watch?v=9TV7PpzrNq4

Acho que resolvi

hoje não choro mais
( estar sozinha e sorrir lembrando de coisas boa, é isso que eu quero!)

Misturança

Viver

Esperar

Viver de novo tudo de novo

mas de novo já é diferente

Sentir

Sensação e sentimento

Tudoaomesmotempo

Graça é saber lembrar

Ou saber esquecer?

Acho que não vai ter jeito mesmo

Só poderia ser
sempre com você
Você acelerou minha calma
Já misturou tudo em mim
São Paulo, Rio de Janeiro
e Londres num grande terreiro
Natal caiu em fevereiro
é carnaval o ano inteiro
só com você
poderia ser
Você é tudo de bom

(esse trêm de você cismar de ficar em mim de enlouquece)


Acho que eu ví um gatinho...


Merece
um
texto
mas
hoje
sem
noção

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Sempre

Livrai-nos de todo o mal

O CORVO (de Edgar Allan Poe)









Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste,
Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais,
E já quase adormecia, ouvi o que parecia
O som de alguém que batia levemente a meus umbrais.
"Uma visita", eu me disse, "está batendo a meus umbrais.
É só isto, e nada mais."
Ah, que bem disso me lembro!
Era no frio dezembro,
E o fogo, morrendo negro, urdia sombras desiguais.
Como eu qu'ria a madrugada, toda a noite aos livros dada
P'ra esquecer (em vão!) a amada, hoje entre hostes celestiais
-Essa cujo nome sabem as hostes celestiais,
Mas sem nome aqui jamais!
Como, a tremer frio e frouxo, cada reposteiro roxo
Me incutia, urdia estranhos terrores nunca antes tais!
Mas, a mim mesmo infundido força, eu ia repetindo,
"É uma visita pedindo entrada aqui em meus umbrais;
Uma visita tardia pede entrada em meus umbrais.
É só isto, e nada mais".
E, mais forte num instante, já nem tardo ou hesitante,
"Senhor", eu disse, "ou senhora, decerto me desculpais;
Mas eu ia adormecendo, quando viestes batendo,
Tão levemente batendo, batendo por meus umbrais,
Que mal ouvi..."
E abri largos, franqueando-os, meus umbrais.
Noite, noite e nada mais.
A treva enorme fitando, fiquei perdido receando,
Dúbio e tais sonhos sonhando que os ninguém sonhou iguais.
Mas a noite era infinita, a paz profunda e maldita,
E a única palavra dita foi um nome cheio de ais
-Eu o disse, o nome dela, e o eco disse aos meus ais.
Isso só e nada mais.
Para dentro então volvendo, toda a alma em mim ardendo,
Não tardou que ouvisse novo som batendo mais e mais.
"Por certo", disse eu, "aquela bulha é na minha janela.
Vamos ver o que está nela, e o que são estes sinais.
"Meu coração se distraía pesquisando estes sinais.
"É o vento, e nada mais."
Abri então a vidraça, e eis que, com muita negaça,
Entrou grave e nobre um corvo dos bons tempos ancestrais.
Não fez nenhum cumprimento, não parou nem um momento,
Mas com ar solene e lento pousou sobre os meus umbrais,
Num alvo busto de Atena que há por sobre meus umbrais,
Foi, pousou, e nada mais.
E esta ave estranha e escura fez sorrir minha amargura
Com o solene decoro de seus ares rituais.
"Tens o aspecto tosquiado", disse eu, "mas de nobre e ousado,
Ó velho corvo emigrado lá das trevas infernais!
Dize-me qual o teu nome lá nas trevas infernais."
Disse o corvo, "Nunca mais".
Pasmei de ouvir este raro pássaro falar tão claro,
Inda que pouco sentido tivessem palavras tais.
Mas deve ser concedido que ninguém terá havido
Que uma ave tenha tido pousada nos meus umbrais,
Ave ou bicho sobre o busto que há por sobre seus umbrais,
Com o nome "Nunca mais".
Mas o corvo, sobre o busto, nada mais dissera, augusto,
Que essa frase, qual se nela a alma lhe ficasse em ais.
Nem mais voz nem movimento fez, e eu, em meu pensamento
Perdido, murmurei lento,
"Amigo, sonhos - mortais
Todos - todos já se foram.
Amanhã também te vais".
Disse o corvo, "Nunca mais".
A alma súbito movida por frase tão bem cabida,
"Por certo", disse eu, "são estas vozes usuais,
Aprendeu-as de algum dono, que a desgraça e o abandono
Seguiram até que o entono da alma se quebrou em ais,
E o bordão de desesp'rança de seu canto cheio de ais
Era este "Nunca mais".
Mas, fazendo inda a ave escura sorrir a minha amargura,
Sentei-me defronte dela, do alvo busto e meus umbrais;
E, enterrado na cadeira, pensei de muita maneira
Que qu'ria esta ave agoureia dos maus tempos ancestrais,
Esta ave negra e agoureira dos maus tempos ancestrais,
Com aquele "Nunca mais".
Comigo isto discorrendo, mas nem sílaba dizendo
À ave que na minha alma cravava os olhos fatais,
Isto e mais ia cismando, a cabeça reclinando
No veludo onde a luz punha vagas sobras desiguais,
Naquele veludo onde ela, entre as sobras desiguais,
Reclinar-se-á nunca mais!
Fez-se então o ar mais denso, como cheio dum incenso
Que anjos dessem, cujos leves passos soam musicais.
"Maldito!", a mim disse, "deu-te Deus, por anjos concedeu-te
O esquecimento; valeu-te. Toma-o, esquece, com teus ais,
O nome da que não esqueces, e que faz esses teus ais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".
"Profeta", disse eu, "profeta - ou demônio ou ave preta!
Fosse diabo ou tempestade quem te trouxe a meus umbrais,
A este luto e este degredo, a esta noite e este segredo,
A esta casa de ância e medo, dize a esta alma a quem atrais
Se há um bálsamo longínquo para esta alma a quem atrais!
Disse o corvo, "Nunca mais".
"Profeta", disse eu, "profeta - ou demônio ou ave preta!
Pelo Deus ante quem ambos somos fracos e mortais.
Dize a esta alma entristecida se no Éden de outra vida
Verá essa hoje perdida entre hostes celestiais,
Essa cujo nome sabem as hostes celestiais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".
"Que esse grito nos aparte, ave ou diabo!", eu disse.
"Parte!Torna á noite e à tempestade!
Torna às trevas infernais!
Não deixes pena que ateste a mentira que disseste!
Minha solidão me reste!
Tira-te de meus umbrais!
Tira o vulto de meu peito e a sombra de meus umbrais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".
E o corvo, na noite infinda, está ainda, está ainda
No alvo busto de Atena que há por sobre os meus umbrais.
Seu olhar tem a medonha cor de um demônio que sonha,
E a luz lança-lhe a tristonha sombra no chão há mais e mais,
Libertar-se-á... nunca mais!

Corvo
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para:
navegação, pesquisa
Nota: Para outros significados de Corvo, ver
Corvo (desambiguação).
Corvo /Corvus

O corvo é uma
ave da família Corvidae. Os corvos são os representantes de maiores dimensões da Ordem passeriformes. Os corvos têm ampla distribuição geográfica nas zonas temperadas de todos os continentes. Vivem em bandos com estrutura hierárquica bem definida e formam, geralmente, casais monogâmicos. A sua alimentação é omnívora e inclui pequenos invertebrados, sementes e frutos; podem ser também necrófagos. São aves que apresentam comportamento complexo e que exibem sinais de inteligência, planejamento e comunicação entre indivíduos. Alguns corvos que comem sementes difíceis de se quebrar atiram as semente nas ruas de uma metrópole qualquer e deixa que os carros quebrem-nas. O corvo da Nova Caledónia (Corvus moneduloides), é conhecido pela sua capacidade de fabricar e utilizar pequenos instrumentos que o auxiliam na alimentação. Em testes especificos de inteligência animal costumam atingir altas pontuações.
Os corvos surgiram na
Ásia, mas todos os continentes temperados e várias ilhas (como o Havaí) tem representantes de 40 ou mais membros do genêro.
Na
mitologia, os corvos são vistos geralmente como portadores de maus presságios, devido à sua plumagem negra e hábitos necrófagos.

Ouvi

http://www.youtube.com/watch?v=wzRJQ7Had4k

Hoje acordei sem lembrar
Se vivi ou se sonhei
Você aqui nesse lugar
Que eu ainda não deixei
Vou ficar?
Quanto tempo vou esperar?
E eu não sei o que vou fazer, não
Nem precisei revelar
Sua foto não tirei
Como tirei pra dançar
Alguém que avistei
Tempo atrás
Esse tempo está lá trás
E eu não tenho mais o que fazer, não
E eu ainda gosto dela
Mas, ela já não gosta tanto assim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz
E eu ainda penso nela
Mas, ela já não pensa mais em mim, em mim, não
Ainda vejo o luar
Refletido na areia
Aqui na frente desse mar
Sua boca eu beijei
Vou ficar
Só com ela eu quis ficar
E agora ela me deixou
E eu ainda gosto dela
Mas, ela já não gosta tanto assim
A porta ainda está aberta
Mas da janela já não entra luz
E eu ainda penso nela
Mas, ela já não pensa mais em mim
Eu vou deixar a porta aberta
Pra que ela entre e traga a sua luz

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Hoje de manhã... Pensamento


Acordei cedinho
Fiz o café
Pensei em você e nem sei porque
Com o que na mão?
Xícara vazia
Por conta do gás que acabou ontem a noite.
Deu vontade de sair na chuva
E levar café pra você...

Agitação (você me embrigou de tanto café)


Ontem a noite, tomei tanto café que custei muito a dormir...
Tava com os nervos a flor da pele, parecendo adolescente prestes ao primeiro beijo...
Sensação misturada com sentimento...

sábado, 8 de novembro de 2008

Hoje choveu

e eu chorei de novo

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Corpo

alma
mente

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Esmola Pra São José

Tem certas coisas seu moço
que eu não gosto muito não
por exemplo
ouvir contar história de operação
de arracamento de dente
ouvir história de briga
eu posso inté escuitá
mas me dá uma fadiga
e outra coisa seu moço
que de bom gosto eu não faço
é dá esmola a quem pede
com um santo debaixo do braço
porque eu acho que o santo
não tem muita precisão
afinal eu nunca vi
santo comer feijão
Mas pro mal dos meus pecado
ou pro minha pouca fé
todo dia lá em casa
passa um veinho andano a pé
pro sinal muito feliz
cantarolando e tal
chega na minha porta
bate palma e diz:
"esmola pra São José"
O diabo da muié
que é muito curvitera
eu nunca vi uma muié
que não fosse rezadêra
adquere um tanto quanto
corre e vai dá lá pro Santo
que dizê, pro santo
pro veio fazê a fera
De manhã logo cedinho
eu vou tomá meu café
quando dô fé ó o grito:
"esmola pra São José"
ôooo mais isso foi me enchendo
o saco
mas me enchendo por demais
Um dia cheguei em casa
com a braguia da carça virada
pa trás
sentei num toco de pau
tumei uma de rapé
quando de repente ouvi o grito:
"esmola pra São José"
pra mode de dá a esmola
a muié se arremecheu
eu fui e gritei: num vai não
dêxa
hoje quem vai dá esmola sou eu
Quando eu cheguei na porta
o velho teve um espanto
eu fui e disse:
vai trabaiá ...
vagabundo ...
que eu num dô esmola pra santo
troque o santo por uma enxada
deixa de ser preguiçoso
santo num carece de esmola, rapaz
deixa de ser mentiroso ..
o veio me olhô ...
e me disse:
que São José te perdoe
e se Deus tive te ouvino
que ele te abençoe
e que cubra tua casa de Paz, Amor,
União, Sossego, Proesperidade,
Conforto e Compreensão
e se um dia o sinhô pricisá
desse veinho
ele não mora tão perto não
mora no sítio Cauã
onde já viveu meu pai
à direita de quem vem
à esquerda de quem vai
e se um dia o sinhô passá
por ali com pricisão
de fome o sinhô num morre
tombem num drome no chão
Quando o veio disse aquilo
eu senti naquele instante
como seu eu fosse uma ...
uma frumiga
sob os pé de dum elefante
fiquei com as perna tudo tremeno
digo e num peço segredo
óia, aquele veio me deu ma surra
sem me tocá com um dedo
Eu com tanta ignorança
ele tanta mansidão
fez eu pagá muito caro
minha farta de compreensão
Então naquele momento
eu gritei pra Salomé
mandei trazê pro veinho
um boa xícara de café
e fui correndo contá meu dinheiro
tinha somento um cruzêro ..
dei tudinho a São José

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Tentar

p
e
d
a
ç
i
n
h
o
s

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

relativo

tempo

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Carta que não te mandei


Minha Bel , (aqui do ladinho, tem um adesivo da Kello Kit)

Acho que pela 30ª vez espalho sobre a mesa todas aquelas coisas lindas que você trouxe pra mim da sua viagem pro Canadá. Isso me alegra, te traz pra perto de mim.
Hoje eu estou triste. Uma tristeza quase comum desde que escolhi a companhia na estrada errada.
... Não tem o que dizer, são só palavras...
Bem, estou escrevendo no "seu" caderno de sonhos/planos que você me deu... mas sonhar o que Grazi? Planejar?
Artur conversa com seus brinquedos na sala e eu observo a única razão que ainda me mantém viva, racional e um pouco sã, não sei por quanto tempo, tudo é tâo incerto, tenho medo, sinto dor e sigo, sigo ainda na direção errada(?).
Quantas coisas lindas sobre minha frente, olho para cada coisa que você comprou e vejo sua docura em cada uma, seu cuidado... acho que gostei mais do casulinho com o ursinho Puff vestido com fantasia de gatinho porque é a sua cara (esse até você deu sem querer, já que estava no meio dos meus presentes...rsssss) me lembra você, seus sonhos de menina, os desenhos dos Super-Tiras que você gostava tanto, aquela porção de bichinhos saindo do tronco de árvore em carro policial, queria sera Gold-Gold (a garota mais rica do mundo, lembra?) pra comprar pra gente tudo que queriamos, uma casa de boneca (agora de verdade, as bonecas somos nós), alguns brinquedos (agora equipamentos modernos que facilitariam ainda mais nossas vidas) e aquela porção de guloseimas (hoje, alimentos pra alma, pro espírito e pro corpo).
Estou ouvindo aquela música que você disse que adora do Lenine, aquela de todas as mulhers juntas... Gostei!
Artur me contou que da última vez que foi na terapia, o Samuel pediu pra ele desenhar uma família imaginária, com quantas pessoas ele quisesse , uma família qualquer, com personagens que ele desse o nome. Eu perguntei o que ele fez. Ele me disse que desenhou a mãe e filha, Júlia e a Laura e eu perguntei, e o pai? ele respondeu com a MAIOR naturalidade do mundo: -Uê, não tem pai!
Me fez lembrar de uma carta (postei aqui no blog tbm) que você me escreveu, que aliás, sempre que leio choro (coisa comum nas suas cartas) você diz..."Cuide para que você continue crescendo, leve seu filho com você". Essa carta é linda e sempre leio e vejo que minha família somos eu e ele, não adianta sonhar com os outros, pelos outros, pois cada um é responsável por ele próprio.
" CARATER É O QUE VOCÊ É QUANDO NÃO TEM NINGUÉM VENDO."
lí isso ourto dia e achei que resumia tudo.
te amo e obrigada por tudo.
Dani

Pensamento

Aqui dentro

Hoje
Durmente


Dor e mente

Mente que pensa
ou
Mente que mente?

Dor que doí
ou
que adormece?

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

silêncio

parado

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Olha direito!


Natureza
Sábia
Quem dera eu
Ser menos racional
E mais natureza...

Ele pensa na bola

A bola rola...

Pitanga


Safra: De abril a junho e de outubro a novembro.
História: Fruta nativa do Brasil, é facilmente encontrada em todas as regiões do país. Seu nome vem da palavra tupi "pyrang", que significa "vermelha". Já era apreciada pelos colonizadores que a cultivavam em suas residências, e de seus frutos produziam doces e sucos, além de utilizarem suas folhas para a confecção de medicamentos para diversos males.
Apesar de sua origem tropical, seu cultivo já se encontra difundido por diversos países podendo ser encontrada plantações da fruta no sul dos Estados Unidos, nas ilhas do Caribe e alguns países asiáticos.
Curiosidades: A presença de licopeno em sua composição é responsável pela coloração vermelha intensa da fruta.
O licopeno é um poderoso antioxidante que tem se mostrado muito eficiente no combate a doenças degenerativas, tais como o câncer. A pitangueira é uma das principais árvores utilizadas para o reflorestamento de áreas devastadas, por seus frutos servirem de alimentos às aves da região.
A pitanga também é conhecida por Suriname cherry ou Brazilian cherry.
Nutrientes:
Vitamina A
Vitaminas do complexo B (B2 e B3)
Vitamina C
Cálcio
Ferro
Fósforo

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

PROCURANDO: entender de todos os ângulos

ENCONTRANDO: resposta pra nada

Irmã sabe dos seus gostos mais antiquados...







Gosto da nossa infância...

Assistir TV, na sessão da tarde "A Fantástica Fábrica de Chocolates"...

Amor que ultrapassa dois estado


Irmã é aquela que sabe no olhar que você precisando de apoio...

Já você, de tão especial, sabe pela minha voz...



quinta-feira, 23 de outubro de 2008

...ela cansa e não dá uma de cansada...

terça-feira, 21 de outubro de 2008

eLeTrIcIdAde

Como numa amorosa cantiga
Hoje, com aquele espanto da primeira dor
Acordei chorando, rondando o apartamento
Numa entrevista de Godard na mão
Três fantasias na cabeça
O teto tão baixo, fui até o centro
Lírico Ulisses devorador de Milk Shakes
Em passos rápidos dizia para os espelhos das vitrines
Alô Marina Vladi, imitando aquele jeito do cabelo
Alto-falantes das lojas me arrepiam
Por pouco não me sinto enamorada
Aí, soprando um café de máquina
Com a voz do Rei na barriga
Jobim no coração
Espelho caixa de contatos
Assobio no elevador
Uma canção me consola
Enquanto mamãe faz tricô
Penélope distraída
Preciso sair de casa...
Se alguém tocar seu corpo como eu, não diga nada...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Campinas, 20 de outubro de 2008...

Hoje, que vou partir, o sol teima em ficar, parece com minha vida toda, que sempre vem na hora errada...

Bem, a tempos não escrevo, mas minhas idéias voam sobre minha cabeça o tempo todo...
Desde sexta-feira escrevo textos inteiros na mente, começo durante a minha vinda para cá, dentro do ônibus, era raiar do dia, um vento frio, os pinheiros diziam lá fora...
Se envergavam quase 30º, é, sul de minas tem dessas coisas, já mudava a paisagem e eu via as araucárias lindas, como se segurassem bolas enormes de natal, só ví mais bonitas quando fui á Curitiba (fatídica e frustante viagem, só não ficou pior porque Ulisses segurou minha onda... ele foi um amigo, ainda lembro do nevoeiro no dia que eu cheguei, dos perigos da Regis Bittencurt e de que dormi no cinema, passava MIB...ai ai... só eu mesmo).

Viagens...

Escrevi também na mente uma carta linda, enquanto andava pelo campus da Unicamp ao encontro de Grazi...
Uma carta que chorei e que me fez acordar...

Também lí o livro da Samantha, Grazi me disse que chorou, eu fui no banheiro e levei o tal livro, queria ver porque do choro (ou ela tava carente ou emocionava mesmo, porque ela pra chorar é uma história...). Lembrei agora do dia da festa Junina de Artur, na hora da dança com os pais, a professora chamava no microfone... eu fui, não tinha pai, chorei por ele, chamei Mltinho, ele veio (obrigado por isso, viu Miltinho...) não sei porque lembrei disso, acho que foi porque chorei no banheiro lendo as duas primeiras páginas do livro em que Samantha escreve a "Carta às minhas filhas". Filho é uma coisa engraçada, nós faz chorar e rir de alegria,, felicidade e tristeza e ao mesmo tempo, é uma mola mágica e propulsora que te atira par frente impassível...

Olha só, eu ia falar da paisagem da estrada e veio esse monte de estórias...

Lembrei das nossas viagens em família e de nós quatro no banco de trás do carro... a paisagem definitivamente não é a mesma, o cheiro, o gosto...
Estar aqui é relembrar um pouco de tudo que vivemos, uma vez que estar com Grazi é nostalgia na certa, como ela mesmo diz éramos felizes e não sabiamos...

Só desejo agora que meu pequeno esteje bem e que eu possa te abraçar e sentir o seu "cheiro de filho" te amo como você mesmo disse outro dia para seu avó, que vai cuidar de você até depois da morte...

Agradecimento em forma de prece, aos meus queridos Grazi e Euclides, por tanto carinho e generosidade, obrigada do fundo do meu coração meninos!!! Euclides, seus almoços são deliciosos!!! Feliz de quem recebe um carinho seu desdes!!! Feliz por ser uma dessas pessoas! Minha Bel, sempre choro por você, por nossas lembranças, pela saudade, pela sua preocupação comigo, obrigada maninha!!!

Não canso de dizer...

Artur, mamãe te ama!





quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A erudição é uma promessa, eu tenho pressa...

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

...
dor
que
serve
pra
esquecer
...



Artur dia desses....

Me beijou e deu uma fungadinha no pescoço, veio com o melhor bálsamo

"Hum, você tem um cheirinho de MAMÃEEEEEEEEEEEEEEEE..........."

que bom que tenho você meu amado !!!


quarta-feira, 1 de outubro de 2008

V de vergonha

Tenho que lembrar

Não posso esquecer

Omissão é o mesmo que mentira

(Já dizia Emílio)

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Sonho da noite toda...

Nos conhecemos pela janela, eramos vizinhos, sua janela dava de frente para o meu atelie na área lá de casa...Você morava naquela república ao lado.Dormia naquele quarto em que a janela dava bem de frente pra minha, Tinha aquele mofo no teto que agora na minha mente remete as minhas aquarelas, Avistava aquela cômoda velha, aquele radinho tipo micro-sistem preto e uns perfumes e desodorantes de todos da casa, já que o quarto era suite e o banheiro ficava do ladinho do móvel...
Um dia, nós encontramos na calçada... só me vem a mente nós dois sentados lá fora, no passseio, conversando horas a fio...
Nós amamos, eu te amei e você me amou como ninguém, todos nos amavamos de tantoamor que sentiam em nós, era uma coisa natural e sutil e contagiava as pessoas, não tinhamos nenhuma pretensão para tal, mas acho que era por isso que fascinava, por ser espontâneo.
Lembro das nossas despedidas e das conversas sem fim pelas janelas, acabou que você ficou sozinho no quarto, ninguém queria dormir com dois doidos apaixonados conversando por uma janela quase a noite toda...foi tudo tão rápido, tão mágico que doi de lembrar...
A espera...
A expectativa...
Os preparativos...
Você não chegava, e logo você , com sua pontualidade britanica...
A preocupação...
Mais preocupação...
Expeculações...
Ligações...
Carros indo e vindo...
Amigos e parentes em busca de notícias...
Sua mãe, que me meu você, logo ela, me traz a inaceitável noticía...
Não queria acreditar...
Ninguém queria...
Ninguém acreditava...
Chorei...
Choraram...
Ainda choro...
Agora só uma janela vazia, ninguém teve coragem de morar lá naquele quarto depois que você partiu...
Lá ficava nossas lembranças...
E na calçada, ficou o cheiro de dama da noite que a gente tanto gostava para todo o sempre...
Ainda engulo seco e tento seguir, mesmo sem saber o porque da sua partida tão prematura ...
Há, deixa eu aqui com a lembrança da sua vida, porque falar de morte, já era...


Sonhei noite passada, uma história que se mistura um pouco com a minha, com essa história que não consigo enterrar nem por "rezabraba"... e ele morre no final... isso é meu eu dizendo pro meu subconsciente que já passa da hora de te enterrar...Por que não consigo?

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Carta da minha Bel, sempre que leio choro...

Amiga,
Onde nós estamos agora? O tempo não para, e vamos caminhando, vamos descobrindo. Hoje descobrimos que a escola realmente é a melhor época de nossas vidas, que o amor não começa no outro, mas em nós. Descobrimos que família sempre briga, descobrimos que somos amigas. Cada lembrança sua é uma lágrima minha, e uma outra lembrança, quem sabe. Quantos bonecos doces não comemos, quantas "balas puxas" nas reuniões da "Tapauerre", quantas brigas, e eu, tenho certeza que essa sua cor delicada e seus cabelos cacheados eram perfeitos como os de uma princesa, que sua independência me impressionava já que eu nunca soube dizer "não".
Deus permitiu que partilhassemos a juventude e não sei se conseguimos o melhor. Nos separamos, nos juntamos, nos separamos de novo. Se Deus me concedesse um desejo, ele seria prá você! Ah! Como eu quero que sejas feliz!
Não consigo escrever o que quero e quando estou ai, estamos sempre dentro da panelinha de pressão que é nosas vida ai nesta "nossa" casa. Dai não temos "espaço" prá contar o que queremos e dizer o quanto amamos.
Decida sua vida como sempre fez, pois ela vai chegar ao BOM! Sua escolha sempre surpreendeu e sempre foi só "sua".
Cuide para que você continue crescendo, leve seu filho com você.
Tenha a independência que você sempre refletiu, só assim vejo sua felicidade. Seja você e a decisão será a melhor.
Sabe maninha, nunca soube que meu amor por você era tanto, de todos que deixei ai o que mais me falta é você.
Por todo o tempo em que você esteve em sua casa, tentei ajudar nossos pais, e quase no final descobri que eles, entre sí, que precisam se ajudar.
Então deixe-os, eles sobreviverão e cuide de você. Pois o tempo urge e pede prá você contá-lo, mas conte com seus dedos, com suas escolhas, com as suas decisões para a sua vida.
Obrigada pelo ovo, beijos pro Artur.
Feliz Páscoa
P.S.:Aqui estamos bem!
Grazy/Bel
Escrita na Páscoa de 2006
Minha Bel,
Nem te pedi se podia, mas você me mandou, então agora é minha...
Ela já estava toda rasgadinha, amassadinha, se despedaçando...
Como quero essa lembrança por muito tempo, resolvi reescrevé-la.
Assim, posso reler quantas vezes quiser...
Bem, isso serve muito mais prá hoje do que nunca!!!
te amo

sábado, 13 de setembro de 2008

Saudade

Ontem, desci a rua Jacarepaguá e lembrei da minha querida vovó Quita...

Canção para Miltinho pequenino

"Fui na horta apanha couve
Espetei um espinho no pé
Amarrei com fita verde
Cabelinho de Luquinhas..."

Lembrei do Mercado da Barroca
Dos lanches com pão de queijo
Dos sabonetes
Daquele guarda-roupa com um espelho enorme
Da Aramida
Do terço
Até do Padre Antônio me lembrei...

saudade que serve pra lembrar...

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Seu Rosa

Tudo, aliás, é a ponta de um mistério, inclusive os fatos.
Ou a ausência deles.
Duvida?
Quando nada acontece há um milagre que não estamos vendo.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Agora

vontade
d
e
s
a
l
i
n
h
a
d
a

Sementinha

Meu pequeno, entre palavras e mais palavras, tenta encontrar o formato das "papipulas gustativas" e cria contando a história do homem que foi "abusido" ...

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Artur, meu guerreiro!!!

...
45 degraus descendo com caixas e subindo pra pegar mais
+
48 degraus subindo com caixas e descendo para pegar mais
...
Meu grande amigo, inseparável e companheiro de muitas horas.
Sempre falando, ás vezes eu nem escuto, de tanta palavra que você fala...Desculpe.
Fala sozinho, brinca sozinho... sempre pensando alto pela casa, no banho, nos quartos, brincando com uma ingenuidade serena que hora agora já é um pouco despertada para o real.
Meu amiguinho, não existem palavras...

Você tão sol...
Eu tão lua...

Sua luz me faz mais feliz!
Te amo !

terça-feira, 19 de agosto de 2008

PROMESSA

PROMETO!
SEI BEM O QUE...
AGORA, A COISA É CUMPRIR!

Eu e Jadilson

Amizade verdadeira a gente sente, de um jeito sutil,vem e vai com gosto de eterno!
Com ele é assim...
"O universo conspira a nosso favor"

Tempo

caos
coisa estranha

arranha
aranha

chega de manha

nem mais apanha

só quer brincar
de boca de forno...

Nova mente

Agora vejo de novo
Avisto a mesma cena
De quando era pequena
Quem sabe agora não vale a pena

Existem mais luzes piscando
Uma árvore a mais na paisagem
Grande, frondosa e aberta
No meio dos telhados

Você não desce mais a rua
Eu não vejo mais a sua

Quem sabe com essa novidade
A vida não se abre?

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Quantos de nós ainda carregamos tradições falidas?

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Salve!!!


Eu estou vestida com as roupas

E as armas de Jorge.

Visão Particular


Você pode esta bem pra uns...
Mal por dentro...
Tudo uma questão de ponto de vista........
Vista do ponto que convêm...

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Ele ama tudo isso!


Comer pão com ovo no quiosque com Ianca!!!

Dia após dia...

Noite insana...
Longa madrugada...
Músicas sertanejas ás 4 da manhã...
Lembrando do Sítio...Tio Duardo...
Morrer é sumir e ficar só na lembrança, né!
Nostalgia é coisa de artista procurando inspiração.
Queria que tudo se ajeitasse.
Ví o pequeno chorar ontem um choro de dor, de verdade, com o coração partido, mais uma perda, mas não há como mudar isso agora...
Pra relevar prometi um cachorrinho na casa nova.
Mas ele prefere um gato.(também prefiro)
Fechado!Um gato!

Boa Sorte

É só isso
Não tem mais jeito
Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer
São só palavras
E o que eu sinto
Não mudará

Tudo o que quer me dar
É demais
É pesado
Não há paz

Tudo o que quer de mim
Irreais
Expectativas
Desleais

Mesmo, se segure
Quero que se cure
Dessa pessoa
Que o aconselha

Há um desencontro
Veja por esse ponto
Há tantas pessoas especiais

Um bom encontro é de dois

terça-feira, 1 de julho de 2008

E no meio de tanta gente chata, encontrei você...


Vazio

...e um certo encantamento por coisa alguma...

Por amor


Eu quero tudo pra mim!!!!

Vento frio...

Acho que não gosto muito dessa estação, meus pés ficam frios o tempo todo...
Gélida cama, entre meu corpo e o edredon carmim.
Minha avó ensinou para suas filhas e uma delas, minha mãe, me ensinou a jogar a toalha por cima, esquenta mais, sabe? Mas noite dessas nem assim. Liguei a TV na madrugada fria, pra ver se distraia e esquecia da falta de calor...